Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2017

Gratidão

Eu gosto de quem se importa comigo, seja como for, tenha o título ou idade que tiver, amigo novo ou antigo, parente, colega de trabalho ou um grande amor. Eu me derreto com demonstrações e fico grata com pequenas coisas, com as grandes então, nem se fala. Bem, eu li a carta algumas vezes pra sintetizar bem e compreender algo que ainda não sei se mereço, mas que preciso agradecer pois "salvou o dia" e me fez feliz, assim como vários momentos em que fiquei feliz por você, nessa amizade relativamente nova que construímos aos poucos. E eu que sou "boa com palavras", nesse momento elas me fogem, tamanha foi minha surpresa diante do feito. Não pelo que recebi, mas pela forma como recebi e pelo motivo. Sou grata pela sua gratidão. Da forma mais bonita me foi entregue, no local de trabalho, feito surpresa no meio do dia, como creio que muitas outras pessoas gostam muito. Nesses meses em que mantemos contato, eu nunca fiz nada que não faria por um alguém querido, por um g

De novo, Lisbela

Eu posso mesmo estar em queda livre rumo a minha próxima decepção, isso é o que meu medo diz. Minha fé diz que eu posso estar caminhando a passos vagarosos rumo ao meu "feliz pra sempre".  Pois bem, aqui é 8 ou 80 sim, mas eu estou tentando pensar como a Lisbela, que disse no filme aquela citação que eu tanto gosto : "O amor me chamou pra um outro lado e eu fui atrás dele. Eu pensei que se eu não fosse, a minha vida inteira ia ser assim. Vida de tristeza, vida de quem quis de corpo e alma e mesmo assim não fez. Daí eu fui. Eu fui e vou, toda vez que o amor me chamar, vocês entendem? Como um cachorrinho, mas coroada como uma rainha." Não é amor...ainda, mas é expectativa, é vontade de roubar pra mim, é um apego, uma saudade, daí me vem aquela outra frase que diz que "saudade é o imposto que a vida cobra de quem foi muito feliz" e eu fui. Não aquela felicidade vazia de carnaval, da cachaça, da música e do carnal. Eu tive mais, eu tive os cuidados, o ca

Oi de novo...

Eu já estava me acostumando com a idéia de ser sozinha, estava acomodada e confortável e logo agora...mais uma faísca, tudo estava no lugar até você me reencontrar. Não é apego inteiro, nada arrebatador mas já é uma faísca, uma esperança, um friozinho na barriga que eu antes não sentia. Juro que não esperava, era pra ser só alguns dias com pessoas estranhas ao meu convívio e você que eu quase conhecia, que eu conheci os lábios embriagados em uma festa qualquer, em uma das minhas curtições sem futuro. Há dias atrás você era só um beijo bom que havia passado, ter te conhecido melhor fez você se tornar uma porção de coisas mais, eu conheci a pessoa por trás do desejo.  Aí então bastaram seus apelos pra eu te cuidar, seu carinho inesperado a todo momento, seus braços me procurando toda hora, sua boca não querendo descolar da minha e o calor do corpo ao lado por todos estes dias, teu ciúme, os problemas juntos, as risadas, as resoluções e os desabafos. Nossos problemas entrelaçados se casam